C’est la vie, como se diz por aqui.


Amigos,

Uau...que viagem!

Essa foi uma das coisas mais difíceis e mais emocionantes que já fiz na vida! Juro! Muita pressão, muita energia, poesia toda hora, todo dia. Passar por isso com certeza me fez mais forte.

Ontem foi realmente uma loucura. A final da Copa do Mundo foi no teatro “Le Maroquinerie”, que é um lugar muito tradicional de shows aqui em Paris. Estava completamente lotado até a tampa e as pessoas urravam “Robertááá” cada vez que o meu nome era falado no microfone. No meu último poema o povo entrou numa catarse geral. Eu era a favorita, e talvez por isso tenha sido tão difícil quando no último round o poeta de Quebéc passou na minha frente.... era o último round ...ele era o campeão...ninguém acreditou...eu fiz 3 notas 10 em um dos rounds, nenhum dos poetas fez essa pontuação...eu não acreditei... Foi foda. Foda mesmo. (meu respeito aos jogadores de futebol e todos os atletas que já perderam copas do mundo e olimpíadas...não é fácil... R.e.s.p.e.c.t Ronaldô!)

Mas foi isso. Cheguei na final e estou entre os 4 melhores slammers do mundo, pelo menos esse ano... E depois pensei, que na verdade esse foi o primeiro slam do qual participei na minha vida, já que o ZAP! é o único do Brasil e como eu apresento, não posso competir. Estreei direto na Copa do Mundo de Slam e fui pra final! Pô, é bastante coisa... Isso aliviou um pouco o coração.

E tirando o slam em si, a competição , o título e tudo mais, isso aqui é um negócio realmente inacreditável e emocionante. Uma verdadeira zona autônoma da palavra. E nessa semana, a quantidade de pessoas maravilhosas e inacreditáveis que conheci, esses contadores de histórias das cidades, esses poetas incríveis, vindos de todas as partes do mundo...isso realmente foi algo que tocou meu coração.

É o que fica dessa experiência. Ontem foi bem duro pra mim, e ao mesmo tempo incrível porque muitas, mas muitas pessoas do público, os poetas, os organizadores, vinham até mim no final e diziam : “vc tocou meu coração profundamente”, ou “sua poesia mudou minha vida”, “ eu nunca vi nada parecido”, “vc é a minha campeã”, “nunca vou esquecer das suas palavras e do seu rosto”....e isso realmente foi me acalmando e me lembrando de qual é o sentido de tudo isso, qual é o sentido de fazermos arte e poesia, qual o sentido de estarmos todos juntos nessa vida.

Bem, ainda estou me recuperando de tantas emoções, da montanha russa que foram esses dias (quem me conhece sabe que sou a maior chorona , dessas que as lágrimas pulam, tipo aqueles palhaços que esguicham água pelos olhos) E também tem a despedida de todos esses novos amigos, que é algo terrível, pois ficamos todos muito próximos apoiando uns aos outros e agora não sabemos quando nos veremos novamente.

Sigo para Londres onde farei uma edição do ZAP! e depois pra um Festival em Portugal. Hoje sinto-me um pouquinho melancólica e ao mesmo tempo muito agradecida de poder ter feito parte desse sonho, desse universo paralelo onde 24 horas por dia só houve poesia.

Agradeço a todos que torceram tanto, todo o amor que me mandaram e manifestaram, todas as mesagens, tudo. Isso foi fundamental. Obrigada do fundo do coração. Mesmo.

E a vida continua. C’est la vie, como se diz por aqui.

Até a volta.

Roberta











3 comentários:

Mulher,Temporina,Antiga disse...

lindo depoimento Rô!!
graças a deus há poesia nessa vida!

Blog do Lelo disse...

Há anos não nos vemos mas sempre penso em vc e sempre com muito carinho... SUCESSO sempre, onde for que estiver !!!!!!

Anônimo disse...

vc é um orgulho nacional!!!!!
parabéns,
parabéns,
parabéns!
bjs
beto

Postar um comentário